A entrevista !

As explicações sobre o método.

Até o ano de 2001, Não tínhamos como estratégia o uso da entrevista, anteriormente ao começo do tratamento. Nossa porcentagem de eficácia oscilava entre 60 e 70%. E os pacientes faziam muitas sessões (eram 6 em média). Após termos adotado a estratégia de, a todo paciente que nos procura, realizarmos a entrevista, longa e esclarecedora, essa porcentagem subiu para 95,4% e há 5 anos não fazemos mais do que três sessões, no máximo, com nenhum paciente.

A entrevista, por mais que não seja uma “sessão” propriamente dita, é a forma mais eficáz de se diminuir custos e obter-se o resultado esperado pelo paciente.

Na entrevista, de duração média de uma hora e meia, que é marcada obrigatoriamente a todos que nos procuram, nós fazemos uma espécie de mini curso para que possamos municiar os pacientes sobre o que realmente é o tratamento hipnoterápico, explicaremos todo o passo-a-passo do método. Sem ela, acreditem, o número de sessões aumentaria muito. O que poderia tornar-se inviável à grande maioria das pessoas .

Atualmente, segundo dados colhidos no ano de 2017, nosso nível de eficácia nos tratamentos está em 95,4%, sendo que destes, 89% dos pacientes realizam a entrevista e 1 (uma) sessão , 10% a entrevista e 2 (duas) sessões e apenas 1 % a entrevista e 3 (três) sessões para identificarem e resolverem a causa do(s) sintoma(s), possibilitando assim a remissão total dos mesmos.

Estes resultados advêm de 28 anos de trabalhos, atendimentos de mais de 18.000 pacientes e pesquisas na área hipnoterápica, onde chegamos à simplificação do método de identificação da origem, da causa dos problemas que nos são apresentados.

Sem a busca e a resolução das verdadeiras causas dos sintomas, não há a solução definitiva dos mesmos.

Sem dúvida alguma, as resistências das pessoas à hipnose dão-se por pura falta de informação séria, real e precisa sobre o que é o método hipnoterápico. As pessoas assistem aos lamentáveis shows de hipnose e logicamente passam a entender que hipnose é aquilo. Mas não o é! Adiante você terá as informações sobre o que verdadeiramente se trata do método hipnoterápico.Numa entrevista minuciosa, detalhada e de duração média de uma hora e meia apresentaremos todas as ferramentas necessárias ao paciente, todo passo-a-passo do método, sempre no intuito de se realizar a menor quantidade de sessões possíveis.Por favor, neste momento faça um esforço para esquecer tudo o que você já foi informado ou tenha procurado saber sobre a hipnose. Esqueça as fantasias, os mistérios, os misticismos.

O método hipnoterápico é uma ferramenta poderosa no auxílio da remissão dos sintomas? Sem a menor sombra de dúvida! Mas necessitamos da ferramenta principal: a colaboração total de quem nos procura. Sem isto, não podemos mexer uma palha em benefício do paciente.

O método se divide em duas fases, a primeira é a entrevista, onde iremos preparar o paciente para a sessão seguinte. Sem a primeira sessão não há a menor possibilidade de realizarmos o tratamento em curto período de tempo.

A hipnose é um método que potencializa algo já natural para todos nós, o fato de lembrarmos fatos ocorridos em nossas vidas. Estamos a todo momento recordando de algo que nos aconteceu, seja no dia anterior, ou em datas mais antigas. Pois bem, a hipnose atua na potencialização dessa característica natural, mas muito mais pontual, facilitada pelo método, para a origem dos sintomas.

Sem a menor sombra de dúvidas, meu maior esforço durante a primeira sessão, é o de mostrar o quão simples é o processo. Um paciente que chega mobilizado e motivado a resolver uma pendência que o impede de viver com mais tranqüilidade, acreditem, possui a mais importante de todas as ferramentas necessárias para resolvê-lo. Basta informarmos, na longa primeira sessão, o método e teremos uma probabilidade altíssima de ajudá-los a resolver seus sintomas em curtíssimo espaço de tempo.

Falamos em motivação e disponibilidade. Estes dois fatores são os determinantes para o sucesso no consultório, no uso da hipnoterapia. O que torna uma pessoa passível de relaxar para que possamos identificar a origem do mal que ela nos traz ,é a sua motivação em resolvê-lo. Motivação que é potencializada com a plena noção do paciente de tudo aquilo que ele está deixando de somar de positivo à sua vida e com os desprazeres que isso provoca. Portanto, meus amigos deixem de lado as idéias caducas, sobre hipnose, pensem que a hipnose não depende de uma força maior, de algo místico, ou que ela funciona apenas para aqueles que são frágeis psiquicamente. Isso é antigo, arcaico e falso! Nunca existiram pessoas sugestionáveis, o termo correto são pessoas cooperativas! A motivação em resolver um problema traz esta cooperação. É automático!

Não nos interessam pessoas susceptíveis, frágeis, mas sim, pessoas conscientes, racionais e bem informadas sobre o tratamento. Isso é produtivo, isso é ético!

e identificação da origem, da causa dos problemas que nos são apresentados.Sem a busca e a resolução das verdadeiras causas dos sintomas, não há a solução definitiva dos mesmos.