Quando a maioria das pessoas encontra a palavra hipnose, logo uma imagem vem à sua mente: de um hipnotizador balançando um objeto em frente ao rosto dos pacientes e estes à mercê de seus comandos. No entanto, não é como a hipnoterapia funciona.A hipnoterapia leva o paciente a um estado de relaxamento mediano no qual a mente subconsciente é receptiva aos métodos de rememorização e tratamento racional das causas dos problemas trazidos ao consultório.Isso mesmo, não tratamos os sintomas através de sugestões diretas, pois não acreditamos nesse método terapêutico por acreditarmos que os mesmos voltam com o passar do tempo, mas nosso foco é a origem, a causa dos sintomas. Esse diferencial na abordagem do tratamento da causa do problema e não seus sintomas, fizeram com que nossas estatísticas do tratamento pulassem de 38% para 94,5% de eficácia.Promessa de cura? Nunca seria irresponsável a prometer a cura. O que proponho é mostrar que o trabalho pode ser muito mais simples do que se imagina. O casamento motivação em agregar mais prazer à vida e as informações técnicas corretas de como chegar a isso são a chave para os sucessos. Temos que analisar, na entrevista, todos os mecanismos de defesa que empregamos em nossas vidas para eliminarmos os possíveis obstáculos ao relaxamento. E isso, pode parecer um trabalho árduo, mas acreditem, não o é ! A primeira sessão é o passo maior para que a sessão flua tranquila.

A hipnoterapia e seu relaxamento não são algo que um hipnotizador faz para você, mas é algo que você dá a si mesmo. Ninguém pode induzir você a fazer algo que não queira ou não tenha o desejo de fazê-lo. Através da hipnose, o seu comportamento pode ser modificado para seu benefício.

Datado de 2600 a.c. até o presente, diferentes métodos de hipnose têm sido utilizados. Wang Tai, Wang Tai, o pai da medicina chinesa, utilizava procedimentos médicos que eram de natureza hipnótica.Como outros cientistas pesquisaram o aspecto da hipnose, eles descobriram que não só poderia ser usado para induzir o relaxamento, mas também foi benéfica no tratamento de outras doenças, tanto físicas e mentais.

Quando você está “hipnotizado”, você está em um estado tranqüilo de relaxamento. Este estado nunca é profundo, pois precisamos de sua mente racional intacta para que ela resolva, da sua forma pessoal, a causa, a origem do sintoma em questão.

O relaxamento é o primeiro passo e o mais importante de hipnose. Seus olhos estão fechados, você respira profundamente em um ritmo diafragmático lento. Quando você está relaxado, a tensão é liberada de seus músculos, nervos e vasos sanguíneos. Isso também reduz a circulação do sangue, que coloca seu corpo em um sentimento de bem-estar. Relaxamento é a chave para superar um medo, hábito, e muitos outros sintomas. Para um melhor aproveitamento do relaxamento, devemos nos abster de todo julgamento pessoal de como estamos realizando os passos oferecidos pelo hipnoterapeuta. Ou seja, devemos apenas seguir o que nos é pedido. Se nos mantivermos auto-críticos, o relaxamento não acontece da forma desejada, adiando-se os resultados. Se um pensamento negativo entra em sua mente, apenas deixe-o ir.

A mente e o corpo interagem um com o outro, e as nossas emoções afetam nossa biologia. O sistema nervoso, o sistema endócrino, e o sistema imunológico estão todos relacionados uns com os outros. Hipnose, sozinha ou com um hipnoterapeuta, é usada para muitas finalidades por psicólogos, dentistas e médicos. Ela pode ser uma ferramenta poderosa no controle do comportamento, ajudando as pessoas a lidar com muitas questões graves; sejam elas físicas ou mentais.

São 24 anos trabalhando com a hipnoterapia. A eficácia no trabalho mudou drasticamente para um nível altíssimo, depois que pude ver, por um novo prisma, a técnica utilizada pelo hipnoterapeuta Paulo Renaud, em 1993, que por sua vez, criou seus métodos baseados no fantástico hipnoterapeuta americano Dr. Dave Elman. Com quem tive o privilégio de fazer parte de sua equipe de terapeutas. Desde então, venho aprimorando a técnica para a realidade Brasileira, já que tinha o formato do pensamento do povo Americano do Norte. Posso lhes dizer que atingimos um nível de eficácia de mais de 94,5%. Quanto ao numero de sessões, no ano de 2011 não realizamos mais do que 3 para cada paciente.

Deletar Lembranças?

Tenho recebido muitos e-mails de pessoas me perguntando se é possível “deletar” fatos negativos acontecidos em suas vidas, particularmente em suas infâncias.Imaginemos quantas situações negativas vivemos em nossas vidas. Milhões delas? Mas então, o que faz com que algumas sejam tão marcantes negativamente? Ou melhor, façamos esta pergunta de outro modo. O que faz com que milhões delas caiam no esquecimento, ou que as recordemos sem nos abalar emocionalmente? A resposta é simples e direta: Todas elas encontraram um psiquê amadurecido o suficiente para que fossem analisadas e compreendidas. Então ficam apenas os aprendizados. Já aquelas outras, as “traumatizantes”, não encontraram o psiquê com capacidade de analise suficiente para que fossem compreendidas racionalmente. Estas ficam como lembranças ruins, negativas e até mesmo aterrorizantes.

Na hipnoterapia, nós trazemos estas situações para serem analisadas pelo racional do adulto de hoje, mais amadurecido, com ferramentas mais contundentes.

Fica sempre a dúvida: “Vou experimentar exatamente as emoções que experimentei quando era criança?” Não. Ao contrário do que se costuma falar popularmente, a hipnose não “regride” ninguém no tempo. Apenas trazemos à lembrança, algo. Portanto, é esse algo que vem ao nosso racional, e não nós que vamos de encontro a ele, diminuindo-se assim, a sua carga emocional.

Portanto, meus amigos, sim, é possível fazer com que lembranças ruins deixem de ser, mas nunca deletá-las de nossas mentes, mas racionalizá-las.


O Medo

Todos os sintomas e sentimentos que me são apresentados no consultório giram em torno, direta ou indiretamente, do MEDO. Medo das relações, das exigências da vida, dos julgamentos, das críticas, de ter seus espaços invadidos, etc.

Tais medos são gerados sempre na infância ( de 0 a 8 anos ). Os medos trazem, naturalmente, a geração de mecanismos de defesa que, na vida adulta, servem apenas para limitar todos os nossos potenciais. Tanto o de sociabilização quanto de nossas produções laborais. Os medos infantis, que continuam se manifestando ao longo da vida adulta geram insegurança, limites inexplicáveis, trazendo conflitos profundos.

Portanto, na minha prática de mais de 23 anos de consultório, observo em todos os pacientes que me procuram, que os sintomas são variáveis, as manifestações são as mais diversas, mas a raiz, a origem delas não foge da ideia de medo.

A hipnoterapia terá então, como mote principal a identificação e descoberta da origem, da causa, aquilo que em tenra idade aconteceu para que aquela criança desenvolvesse um olhar de atenção de defesa para as coisas externas, sempre ameaçadoras e que as colocasse em risco.


Tratamentos

De todos os problemas de fundo emocional, os mais frequentes são:

  • Transtornos de ansiedade
  • Fobias sociais
  • Compulsões
  • Estados crônicos de medo
  • Estados crônicos de insatisfação, tristeza, melancolia sem causas aparentes
  • Distúrbios sexuais Masculinos e Femininos
  • Síndrome do Pânico
  • Distúrbios Alimentares
  • Separações traumáticas
  • Insegurança
  • Ciúmes exagerados.
  • Insônia
  • Melancolia
  • Depressão
  • Gagueira *

* Não Caso da Gagueira especificamente, é imprescindível que o paciente Continua, concomitantemente, ou comece, um trabalho Fonoaudiológico Para descondicionamento da musculatura Respiratória. A hipnoterapia Trata da Causa emocional, a Fonoaudiologia tratará da orgânica, muscular, motora!