O maior problema do ser humano é o MEDO.  É o que traz os maiores e mais limitantes problemas à sua vida. Com medo não caminhamos, não produzimos como poderíamos, não nos desenvolvemos. Com medo procrastinamos, nos auto sabotamos, evitamos exposições, temos dificuldades de nos posicionarmos. Com medo não nos colocamos, não damos opiniões contrárias às dos outros. Com medo nos preocupamos demais em agradar, em sermos educados, simpáticos, bonzinhos. Com medo não somos nós mesmos, somos aquilo que achamos que os outros esperam que nós sejamos.

E quando afirmamos isso vamos um pouco mais além, que é afirmar que o MEDO que temos tem sempre como objeto O OUTRO SER HUMANO em todas as suas formas variadas de ameaça. Nós temos medo do olhar do outro, da crítica do outro, do julgamento do outro, da avaliação do outro sobre quem nós somos e do nosso valor dentro da sociedade. Esse é o nosso maior medo, o nosso valor para a sociedade!

Esse sentimento é gerado até os oito anos de idade, no máximo. e, se nada for feito para ser revertido, irá se manifestar para toda a vida, com algumas modificações, mas sempre com o mesmo dna do medo inicial, primordial, daquele gerado em tenra idade (0 a8 anos).

E como é gerado esse sentimento? Você poderia perguntar. Permita me fazer um parênteses nessa conversa e informar que todas as afirmações que aqui estou fazendo são baseadas puramente em 24 anos de experiência de consultório com milhares de pacientes atendidos, portanto, não é baseado em nenhuma teoria.  Ok, voltando…Quando a criança passa por alguma situação pontual (um fato específico) ou por situações contínuas que geram nela uma emoção incômoda, e essa criança não possui ainda experiência, maturidade suficiente para poder racionalizar, entender aquilo que está gerando aquela emoção, automaticamente, são gerados mecanismos de defesa que irão, a partir desse momento manifestarem-se, sem qualquer limite durante toda a vida, ao menos que seja utilizado alguma metodologia para rememorização da causa e devido tratamento terapêutico.

No método que utilizo, isso dá-se em, no máximo, em três sessões.